Rádio 7 Online
OPERAÇÃO POLICIAL

Polícia Civil deflagra operação contra crimes de lavagem de dinheiro

.

14/01/2019 10h53
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Polícia Civil
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Nesta segunda-feira (14), a POLÍCIA CIVIL através da DRACO desencadeou a 3ª fase da Operação Pólis. Estão sendo cumpridas 2 mandados de prisão preventiva, 7 mandados de busca e apreensão, 6 ordens judiciais de sequestro de bens móveis e veículos.

Após o encerramento das primeiras fases, onde foram cumprido buscas nas residências dos investigados, com apreensão de documentos, veículos, valores, sequestro de imóveis, foram instaurados inquéritos policiais para investigar cada núcleo criminoso dos estelionatários.

Foram realizadas analise das quebras de sigilo fiscal, financeiro e bancário dos investigados, onde foram apuradas mais de 15 atos de lavagem de dinheiro dos investigados, identificados os “laranjas”, aferido o patrimônio oriundo da lavagem de dinheiro, proveniente dos estelionatos praticados pelos investigados. Os dois principais investigados (que aplicavam o conto do bilhete) e mais 7 pessoas (que auxiliavam na lavagem de dinheiro) foram denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Sob coordenação do Delegado Diogo Ferreira, nesta 3ª fase, os alvos principais são C.P. (34 anos) e F.B. (41 anos) (casal), que mesmo após a deflagração da 1ª fase da operação continuaram a praticar diversos estelionatos no RS e SC, inclusive sendo presos em flagrante. Além desses fatos, mais todos os elementos colhidos na investigação embasaram a representação pela prisão preventiva dos investigados.

Entre anos de 2013 e 2015, o casal movimentou em suas contas correntes quase 1 milhão de reais, dinheiro esse na sua grande maioria depósitos, transferências de valores oriundos de estelionatos do conto do bilhete. E o casal se declarava ISENTO no Imposto de Renda junto a Receita Federal. Estima-se que desde que começaram a aplicar golpes até os dias atuais, o casal movimentou com o golpe do bilhete mais de 3 milhões de reais.

A investigação apurou que o casal movimentou somente nas contas bancárias próprias quase 1 milhão de reais, sem mencionar os valores movimentado em espécie, fato comum nos estelionatos, onde as vítimas sacam os valores e entregam diretamente aos estelionatários.

São 5 veículos alvos de sequestro (avaliados em mais de 300 mil reais) e um imóvel de luxo (avaliado em mais de 2 milhões reais) pertencentes ao casal preso.

Entre móveis e imóveis, apreendidos e sequestrados mais 2 milhões de reais, que após o término do processo com condenação serão leiloados, e as vítimas destes investigados receberão os valores que foram lesadas na época, e o restante será revertido a Polícia Civil.

O casal foi preso na cidade de São Gabriel. A investigada estava presa em razão de golpe do conto do bilhete aplicado naquela cidade, e os policiais foram cumprir o mandado de prisão no local, quando estava saindo do Presídio, o companheiro, também investigado, estava chegando para visitá-la, e como também possuía prisão preventiva decretada pela operação, foi preso no local.

Além das duas prisões, foram apreendidos 3 veículos, uma lancha e dinheiro.

Participação de 26 Policiais Civis de Passo Fundo e 10 viaturas.
  • Polícia Civil deflagra operação contra crimes de lavagem de dinheiro
  • Polícia Civil deflagra operação contra crimes de lavagem de dinheiro
  • Polícia Civil deflagra operação contra crimes de lavagem de dinheiro
  • Polícia Civil deflagra operação contra crimes de lavagem de dinheiro
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.