Rádio 7 Online

Serpente caninana com cerca de 2 metros é flagrada subindo torre de antena em município gaúcho

Animal estava próximo de uma plantação de milho. De acordo com moradores, outras duas serpentes iguais a esta vivem neste local. A caninana, que não é venenosa, é considerada mansa.

11/06/2019 16h29
Por: Josoel Silvestre
Fonte: G1 RS
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Agricultores foram surpreendidos, na tarde de segunda-feira (10), com o aparecimento de uma serpente próximo de uma plantação de milho, no Morro do Pedro, em Presidente Lucena, no Vale do Paranhana, Rio Grande do Sul. O animal foi visto subindo a torre de uma antena.

"Nós fomos dar uma olhada nas antenas e vimos aquela cobra ali. Segundo os moradores, tem mais duas assim ali. Ela estava bem tranquila. Entrou naquele buraco da caixa da antena. Não deu muita bola para nós. É um bicho muito bonito, mede de dois a três metros, mais ou menos", disse o vice-prefeito e secretário de Agricultura e Meio Ambiente do município, Luiz José Spaniol, que acompanhava a colheita e que fotografou a serpente.

De acordo com a bióloga do Laboratório de Herpetologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Natália Dallagnol, o animal é uma serpente caninana, da espécie Spilotes pullatus.

"É comum nessa região. Ela pode chegar até três metros de comprimento. E, se não for ameaçada, não é agressiva. Normalmente é bem mansa".

A serpente foi deixada no local.

"Ela deve ter um papel muito importante na natureza. Ela ficou por ali mesmo. É o ambiente dela e tem bastante pedra. Eu, como secretário, fiscalizo a colheita junto aos agricultores. Naquele momento, eu e o operador vimos uma movimentação estranha na antena e vimos aquela cobra", disse Spaniol.

A caninana não é uma serpente venenosa. Quando se sente ameaçada, a espécie infla o pescoço e vibra a cauda para intimidar e enfrentar o predador.

Além do tamanho, a caninana impressiona pela coloração em preto e amarelo. Existem cinco subespécies dessa cobra e três delas podem ser encontradas no Brasil. O animal é terrestre, mas também sobe em árvores. Alimenta-se de aves, roedores, anfíbios e de mamíferos de pequeno porte, como preás.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.