RD Online
CASA DOS LANCHES
Marcos Higienização e serviços em geral
Macali Brasil
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Zany Decorações e Presentes
Banner Site
Gugui Confecções
Lavacar e Borracharia do Juarez
UNOPAR VESTIBULAR
Lava Car do Éder
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
POLO UNOPAR REDENTORA
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Anúncio Rádio RD Online
Via Tec telecom
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA

Brasil sofre, mas vence o Paraguai nos pênaltis e vai às semifinais da Copa América

Seleção aguarda Argentina ou Venezuela na semifinal

28/06/2019 09h24
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Gaúcha ZH
Alisson defende pênalti e Brasil se classifica na Copa América. Foto: divulgação
Alisson defende pênalti e Brasil se classifica na Copa América. Foto: divulgação
Teve drama, suor, sufoco. Teve sofrimento, vaia, aplauso, incentivo. Teve quase 50 mil pessoas. A Arena empurrou o Brasil para a semifinal da Copa América depois de um 4 a 3 nos pênaltis diante de um bravo Paraguai, que segurou o 0 a 0 no tempo normal mesmo tendo um jogador a menos no segundo tempo. No sufoco, na força, a Seleção de Tite segue em frente na competição. Aguarda o vencedor de Argentina e Venezuela.

Logo no terceiro minuto, Daniel Alves começou a jogada no campo de defesa, a dribles. Dentro da própria área, passou por dois e entregou para Arthur, que já repassou a Firmino. O atacante do Liverpool entregou para Daniel Alves, que entrava pelo meio e deu para Philippe Coutinho, dentro da área, concluir, mas Gatito Fernández defendeu.

O Brasil seguiu com ritmo intenso, buscando o gol. Everton deu seu primeiro chute, mas não foi muito forte, e o goleiro agarrou sem problemas. Pouco depois, um lance polêmico: após lançamento de Firmino, Gabriel Jesus arrancou e disputou com o zagueiro. Levou vantagem, mas o árbitro entendeu que houve falta e anulou o lance.

A tentativa de pressão do Brasil durou mais ou menos 10 minutos. A partir daí, o Paraguai esfriou o jogo. Quando não conseguia controlar os brasileiros na bola, não se envergonhava de cometer faltas em sequência. Piris mal avançava, para segurar Everton. Arzamendia, pelo outro lado, era o responsável por conter Gabriel Jesus e Daniel Alves, que se juntava ao ataque com frequência. Aos poucos, tentava mostrar suas armas ofensivas. Conseguiu aos 27: após uma cobrança de escanteio, a defesa do Brasil cortou mal e o rebote ficou com Hernán Perez, que cruzou para Derlis González, livre, dominar e encher o pé. Alisson fez uma grande defesa e impediu o gol.

O time brasileiro sentiu, então, que havia um perigo maior do que só não conseguir atacar o adversário. Isso deixou o time nervoso. Os paraguaios intensificaram a marcação pelos lados do campo e impediam a criação de Gabriel Jesus e Everton. Os dois chegaram a trocar de beirada para tentar levar vantagem. Nada feito, mas ao menos cavaram cartões amarelos para Arzamendia e Piris.

Ataque, mesmo, só aos 40 minutos. Coutinho recebeu lançamento de Filipe Luís pelo lado esquerdo, entrou na área e bateu cruzado, rasteiro. Gatito defendeu firme.

Tite mexeu no time no intervalo. A troca foi conservadora: um lateral-esquerdo por outro, Filipe por Alex Sandro.

Aos quatro minutos, Everton conseguiu levar vantagem sobre a defesa pela primeira vez. Ao seu estilo, superou a marcação e deu para Firmino, que fez o pivô para Coutinho chegar batendo, mas sem tanta força. Gatito pegou. No lance seguinte, foi a vez de Arthur fugir um pouco de suas características e se oferecer ao ataque. O volante do Barcelona, ex-Grêmio, avançou com espaço e, primeiro, tentou passar a Gabriel Jesus. A zaga afastou parcialmente e ele mesmo pegou o rebote chutou por cima do travessão.

O Brasil havia voltado melhor no segundo tempo. E aos oito minutos, conseguiu seu melhor momento. Gabriel Jesus iniciou a jogada a dribles e achou Firmino com um passe perfeito. O centroavante avançou e quando se preparava para entrar na área, foi derrubado por Balbuena. Roberto Tobar, inicialmente, marcou pênalti. Após organizar tudo, acabou acionado pelo VAR. Foi ao monitor e revisou o lance: falta fora da área e cartão vermelho para o defensor paraguaio. Na cobrança, já aos 14, Daniel Alves bateu e Gatito salvou.

Berizzo mexeu no time. Para não desmanchar seu sistema, sacou Arzamendia e colocou Valdez. A ordem seria se defender mesmo.

Com a mais, o Brasil se atirou ao ataque definitivamente. Até Thiago Silva e Marquinhos se aventuraram na frente. A pressão era total. Aos 25, quase gol. Everton ganhou da defesa pela esquerda e entrou na área, bateu forte para trás. A defesa afastou para a meia-lua e Arthur chegou batendo. Mais uma vez, Gatito pegou.

Willian entrou para dar mais força pelo lado direito. O time se transformou em, praticamente, um 4-2-4. Aos 28, outra grande oportunidade. Everton fez jogada pela esquerda, de novo, e cruzou. Coutinho entrou, mas cabeceou mal, só que Jesus estava bem posicionado e bateu, para fora. Aos 30, nova jogada de Willian, com Marquinhos metido de lateral para cruzar e Firmino cabecear para fora. Na sequência, o Brasil armou o ataque pela direita, Gabriel Jesus ajeitou e Everton concluiu, mas Gómez se atirou na frente da bola e evitou.

Aos 38 minutos, a última troca. Saiu Daniel Alves e entrou Lucas Paquetá. Mas antes mesmo de o jogador do Milan tocar na bola, um susto. Arthur, em uma disputa, acertou Almirón com o braço. O árbitro chegou a consultar o vídeo para uma possível expulsão, mas o volante levou só amarelo. Paquetá sofreu uma falta pelo lado esquerdo. Coutinho cobrou, Thiago Silva se antecipou e cabeceou, mas Gatito fez mais uma grande defesa.

E quando Gatito não defendeu, levou sorte. Aos 45, Willian fez tudo sozinho, da direita para a esquerda, e bateu. A bola passou pelo goleiro e carimbou a trave.

No penúltimo dos sete minutos de acréscimo, Everton teve a grande oportunidade. Ele recebeu na área, clareou e bateu. Um zagueiro se jogou na frente da bola e salvou. Ainda deu tempo para Coutinho chutar, a bola desviar e quase entrar.

Nos pênaltis, Gómez bateu o primeiro e Alisson defendeu. Willian abriu o placar. Almirón empatou. Marquinhos fez o dele. Valdez deixou tudo igual de novo. Coutinho converteu. Rojas acertou o ângulo. Firmino chutou para fora, 3 a 3. Derlis González fez igual, botou ao lado da trave. Gabriel Jesus esbanjou categoria e fez o gol da vitória. O Brasil avança.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.