RD Online
Anúncio Rádio RD Online
METALÚRGICA PORTELA
Macali Brasil
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Nacional Gás Redentora
Marcos Higienização e serviços em geral
Lavacar e Borracharia do Juarez
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
ZANY DECORAÇÕES
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
CENTER MÓVEIS REDENTORA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Banner Site
Raynet Telecomunicações
JP Celulares Redentora
POLO UNOPAR REDENTORA
Marina Móveis Redentora
Cervejaria da Praça
UNOPAR VESTIBULAR
Gugui Confecções
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Via Tec telecom
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA

Ministério da Saúde recomenda vacinação contra febre amarela na região Sul

Estudos indicam que RS e demais estados ficam na rota de dispersão do vírus

16/08/2019 08h23
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Rádio Guaíba
Imunização deve ser disponibilizada na rede pública | Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil
Imunização deve ser disponibilizada na rede pública | Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Antes da chegada do verão de 2020, pessoas que residem no Sul do Brasil e que não foram vacinadas contra febre amarela devem se imunizar. A recomendação é do Ministério da Saúde (MS). O plano de ação para monitoramento do período sazonal da doença – que registra maior incidência entre dezembro e maio – leva em conta estudos indicando a previsão de potenciais rotas de dispersão do vírus e de ocorrência de casos da doença, além da baixa cobertura vacinal em estados do Sul.

Devem ser vacinados bebês, crianças, adolescentes e adultos entre nove meses e 60 anos incompletos, recomenda o Ministério. “A partir dos 60 anos, a avaliação entre risco e benefício deve ser feita por médico”, exalta o médico da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Juarez Cunha. O esquema previsto no calendário oficial é de uma dose da vacina. Em Porto Alegre, a cobertura vacinal de 2018 ficou em 41,55%. Entre janeiro e julho de 2018, o índice era de 39,4% e, em 2019, no mesmo período, chega a 46,28%.

Na rede municipal, a dose contra febre amarela é oferecida atualmente em 137 salas de vacina instaladas em unidades de saúde. “Não há necessidade de agendamento e o estoque do imunobiológico está normalizado”, explica a enfermeira Renata Capponi, chefe do Núcleo de Imunizações da SMS.

O Ministério orienta, ainda, que a imunização seja priorizada entre a população de área rural, ribeirinha e do entorno de parques e unidades de conservação, trabalhadores rurais, agropecuários, extrativistas e da área do meio ambiente, viajantes para áreas afetadas, seja trabalhadores ou turistas, além daqueles que residem em áreas com confirmação da circulação do vírus.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.