RD Online

WhatsApp

55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413

Anúncio Rádio RD Online
CASA DOS LANCHES
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
Macali Brasil
Banner Site
Lavacar e Borracharia do Juarez
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
Marcos Higienização e serviços em geral
Zany Decorações e Presentes
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
POLO UNOPAR REDENTORA
UNOPAR VESTIBULAR
Via Tec telecom
Gugui Confecções
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Lava Car do Éder

Ação conjunta descobre agrotóxicos proibidos e contrabandeados em lavouras de arroz

Comissão de fiscalização, coordenada pelo MPRS, contou na ação com apoio da Seapdr e do Ibama

08/10/2019 15h44
Por: Gilmar Machado
Fonte: Secom/RS
 Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Comissão de Fiscalização e Controle do Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos realizou operação conjunta para fiscalizar o uso de hidróxido de fentina, comercializado no Brasil com o nome de Mertin 400. A ação ocorreu entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro em lavouras de arroz pré-germinado na região de Santa Maria e da 4ª Colônia (municípios de Restinga Seca, Agudo e Dona Francisca).

Foram encontrados produtos vencidos, contrabandeados (hidróxico de fentina e metil metsulfurom), além do próprio Mertin. Na ação, houve coleta de água, solo, sementes e até de animais mortos por suposto envenenamento. Também foram recolhidas embalagens vazias descartadas indevidamente.

A comissão, coordenada pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, contou com apoio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A equipe da Seapdr, que atuou em Mata, Santa Maria, Formigueiro e Cacequi, emitiu oito termos de fiscalização, dois termos aditivos, dois autos de apreensão e depósito e três autos de infração. O Ibama fiscalizou 20 propriedades e lavrou nove autos de infração, totalizando quase R$ 50 mil, três termos de embargo e três termos de apreensão e depósito, além de duas notificações.

Em março de 2017, a pedido da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente de Porto Alegre em ação civil pública, a Justiça proibiu o uso do agrotóxico Mertin 400 em lavouras de arroz irrigado no Rio Grande do Sul.

Na decisão, a Justiça justificou a proibição devido ao “evidenciado risco ao meio ambiente e à própria saúde humana”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.