RD Online
METALÚRGICA PORTELA
UNOPAR VESTIBULAR
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Cervejaria da Praça
Via Tec telecom
ZANY DECORAÇÕES
Marcos Higienização e serviços em geral
CENTER MÓVEIS REDENTORA
Marina Móveis Redentora
Banner Site
Lavacar e Borracharia do Juarez
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Macali Brasil
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
JP Celulares Redentora
Gugui Confecções
Nacional Gás Redentora
Raynet Telecomunicações
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
UNOPAR INFE
Anúncio Rádio RD Online
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR

Suspeito de matar ex-mulher após audiência sobre divórcio é preso em Caxias do Sul

19/11/2019 17h30
Por: Ryan Silvestre
Fonte: G1 RS
Ereni foi morta a tiros em Caxias do Sul; ex-marido é o principal suspeito — Foto: Reprodução
Ereni foi morta a tiros em Caxias do Sul; ex-marido é o principal suspeito — Foto: Reprodução

A Polícia Civil prendeu preventivamente, na tarde desta terça-feira (19), o ex-marido de Ereni dos Santos, 42 anos, morta a tiros após audiência sobre divórcio na semana passada, em Caxias do Sul, na Serra gaúcha. Segundo a delegada Carla Zanetti, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), ele se apresentou à delegacia com o advogado, prestou depoimento e admitiu o crime.

O G1 entrou em contato com o advogado do suspeito e aguarda o seu posicionamento oficial. Ele deve responder por feminicídio consumado.

O homem de 62 anos alegou estar transtornado desde a separação do casal. No dia do crime, ele se encontrou com a esposa às 9h, em uma audiência de conciliação na Vara de Família para tratar sobre a divisão de bens do divórcio. Horas depois, disse que a viu enquanto se deslocava de carro.

"Ele disse que estava fora de si", resumiu a delegada.

A polícia apreendeu um revólver de calibre 38 em nome do suspeito. Aguarda, agora, o resultado do laudo de balística do Instituto Geral de Perícias (IGP) para confirmar se os cinco tiros foram disparados desta arma.

A delegada Carla espera concluir o inquérito em, no máximo, 10 dias e encaminhá-lo para o sistema judiciário.

O suspeito permanecerá preso preventivamente durante a investigação.

Relembre o caso

Ereni foi baleada dentro do próprio carro no dia 11 de novembro. Ela tinha uma medida protetiva contra o ex-marido desde abril de 2018, prorrogado em setembro deste ano.

O juiz Emerson Jardim Kaminski, da Vara da Violência Doméstica, informou à reportagem que “ela tinha passado por avaliação de risco diretamente com a nossa equipe multidisciplinar, afirmando que não temia o ex-marido, mas queria a prorrogação das medidas para garantia apenas, já que ele estava bem tranquilo e respeitando-a".

"Em 12 de setembro foi o último atendimento dela, que disse não querer a responsabilidade criminal do agressor porque não estava mais sendo ameaçada, optando por manter as medidas protetivas por mais seis meses, só por segurança”, acrescenta.

O casal esteve casado por 20 anos e tinha dois filhos, de 14 e de quatro anos, mas estava em processo de separação há cerca de um ano e meio.

Ereni era secretária de uma escola municipal de Caxias do Sul.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.