RD Online
Lava Car do Éder
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Raynet Telecomunicações
Via Tec telecom
METALÚRGICA PORTELA
UNOPAR VESTIBULAR
POLO UNOPAR REDENTORA
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Lavacar e Borracharia do Juarez
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
Banner Site
Anúncio Rádio RD Online
Cervejaria da Praça
Macali Brasil
Marina Móveis Redentora
JP Celulares Redentora
Marcos Higienização e serviços em geral
Nacional Gás Redentora
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
ZANY DECORAÇÕES
Gugui Confecções
CENTER MÓVEIS REDENTORA

Falso padre é detido após aplicar golpe de R$ 100 mil

Homem que se apresentava como sacerdote foi indiciado pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e furto qualificado

04/12/2019 15h15
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Veja
Luiz França de Lima, de 25 anos, é acusado de estelionato, furto qualificado e falsidade ideológica (Divulgação/VEJA.com)
Luiz França de Lima, de 25 anos, é acusado de estelionato, furto qualificado e falsidade ideológica (Divulgação/VEJA.com)

Um homem que se apresentava como padre foi detido por policiais da 48ª Delegacia de Polícia de Seropédica, na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, acusado de aplicar um golpe de mais de 100 mil reais em um casal. As vítimas, que recorreram ao falso sacerdote para anular o casamento da filha deles, desconfiaram da conduta de Luiz França de Lima por causa da demora para realizar o procedimento e acabaram comunicando a situação à polícia.

Natural de Pernambuco, Lima, de 25 anos, morou por dois anos na casa da família e pedia dinheiro para cobrir os custos de viagens e serviços para resolver as burocracias do processo de nulidade do casamento. Ele alegava ainda ser doutor em filosofia e dizia ter sido selecionado para lecionar em uma universidade federal do estado.

Além do crime de estelionato, o falso padre é acusado de ter furtado o celular de uma das vítimas. Lima foi indiciado também pelo crime de falsidade ideológica. Após ser detido, ele prestou depoimento e foi liberado. O Ministério Público ainda deve apresentar denúncia sobre o caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.