RD Online

WhatsApp

55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413

Banner Site
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Cervejaria da Praça
ZANY DECORAÇÕES
Marcos Higienização e serviços em geral
UNOPAR VESTIBULAR
METALÚRGICA PORTELA
Raynet Telecomunicações
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
Nacional Gás Redentora
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Gugui Confecções
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Anúncio Rádio RD Online
POLO UNOPAR REDENTORA
CENTER MÓVEIS REDENTORA
JP Celulares Redentora
Via Tec telecom
Marina Móveis Redentora
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Macali Brasil
Lavacar e Borracharia do Juarez
Lava Car do Éder
PREVIDÊNCIA

Estados e municípios devem se adequar à Previdência até julho

Prazo consta da Portaria nº 1.348, publicada no Diário Oficial

04/12/2019 17h45
Por: Gilmar Machado
Fonte: Agência Brasil
Foto: RD Foco
Foto: RD Foco

Estados e municípios têm até 31 de julho de 2020 para se adequarem às novas regras previstas na reforma da Previdência, feita por meio da Emenda Constitucional nº 103. O prazo está definido na Portaria nº 1.348, publicada na edição de hoje (4) do Diário Oficial da União.  

Apesar de ainda depender da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Paralela, em tramitação no Congresso Nacional, para alterar as regras de aposentadorias para estados e municípios a reforma da Previdência já deve ser considerada pelas unidades da Federação.

A PEC Paralela tem a função de definir as regras de aposentadoria e pensão de morte, idade mínima, regras de concessão e cálculo dos benefícios para servidores estaduais e municipais. As demais regras da reforma da Previdência já se aplicam aos estados e municípios.

Regras

Uma dessas regras é a alíquota de contribuição dos servidores ativos, aposentados e pensionistas. Estados e municípios que não adotarem a tabela progressiva da União devem ter alíquota de, no mínimo, 14%.

A tabela progressiva da União varia de 7,5% a 22%, de acordo com o salário do servidor. “Para os municípios e até para alguns estados, adotar a tabela regressiva poderá gerar perda de receita porque a remuneração [dos servidores] é mais baixa”, explicou hoje (4) o secretário adjunto de Previdência do Ministério da Economia, Narlon Gutierre Nogueira.

Além disso, estados e municípios também terão que instituir regime de previdência complementar. Todas as alterações devem ser feitas por lei, que deverá estar em vigor até 31 de julho. Após a vigência da lei, estados e municípios terão prazo de 90 dias para implementar as mudanças.

O cumprimento das regras é exigência para que estados e municípios tenham o Certificado de Regularidade Previdenciária, necessário para receber transferências voluntárias da União e fazer financiamentos com bancos públicos federais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.