RD Online

WhatsApp

55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413

Gugui Confecções
Macali Brasil
Marina Móveis Redentora
Raynet Telecomunicações
METALÚRGICA PORTELA
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Móveis Rústicos do Nego Claudio
Nacional Gás Redentora
UNOPAR INFE
UNOPAR VESTIBULAR
Banner Site
CENTER MÓVEIS REDENTORA
Anúncio Rádio RD Online
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Via Tec telecom
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
JP Celulares Redentora
Cervejaria da Praça
Gráfica Modelo
BAILE BENEFICENTE - HOSPITAL SANTO ANTÔNIO
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA

Mulher atropelada por carro desgovernado em São Gabriel morre no hospital. Veja vídeo

10/12/2019 16h16Atualizado há 1 mês
Por: Ryan Silvestre
Fonte: G1 RS
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Dez dias após ser atropelada em frente a uma bar, em São Gabriel, na Região Central do estado, Marilene Henriques Lopes, morreu, nesta terça-feira (10), no hospital da cidade. Ela tinha 69 anos e esteve em coma durante a maior parte do tempo, segundo o filho Cristiano.

A dona de casa teria tido complicações na noite de segunda (9) e não resistiu aos ferimentos. O sepultamento está previsto para o fim da tarde desta terça.

A família, segundo o filho, que viajava de Itapema (SC) para o enterro, está inconformada com o caso.

"A gente quer justiça, que o cara seja preso. O acidente foi muito brutal", diz Cristiano.

Marilene morava no andar de cima do bar, que é gerenciado por um dos filhos. Ela teria descido para visitar uma vizinha quando foi atingida por um carro desgovernado, no dia 30 de novembro.

Além dela, outras cinco pessoas teriam sido atingidas. Entre elas, o namorado, a vizinha, e a filha e neta desta. Todos foram atendidos e liberados.

"A única vítima foi ela", lamenta Cristiano.

O motorista do carro também foi levado inconsciente para o hospital e não prestou depoimento. Segundo informações da Brigada Militar no dia do atropelamento, a suspeita é que ele tenha tido um mal súbito.

A Polícia Civil investiga o caso como homicídio culposo de trânsito, quando não há a intenção de matar. O motorista responde em liberdade.

"Ele foi interrogado e alegou que teve uma convulsão. Isso está sendo investigado ainda", afirma o delegado José Bastos. "Várias pessoas foram ouvidas e estamos colhendo os relatos, bem como algumas perícias."

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.