RD Online
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Agenda Comércio de Bebidas Vigne e Oliveira
Anúncio Rádio RD Online
Gugui Confecções
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
Macali Brasil
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Nacional Gás Redentora
Banner Site
UNOPAR VESTIBULAR
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
CONVITE RODEIO BRAGA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
JP Celulares Redentora
Cervejaria da Praça
Via Tec telecom
Gráfica Modelo
CENTER MÓVEIS REDENTORA
METALÚRGICA PORTELA
Raynet Telecomunicações
BAILE BENEFICENTE - HOSPITAL SANTO ANTÔNIO
ZANY DECORAÇÕES
UNOPAR INFE
Móveis Rústicos do Nego Claudio
Marina Móveis Redentora
"PROFISSIONAIS"

Parto de bebê prematuro e com tumor 'maior que a cabeça dele' mobiliza 50 profissionais em MS: 'Foi desafiador'

Uma das médicas diz que equipe estudou o caso e definiu o melhor tratamento, envolvendo de médicos a fisioterapeutas para atuar em cirurgia complexa. Mãe agradeceu a dedicação.

10/01/2020 14h12
Por: Gilmar Machado
Fonte: Por Graziela Rezende, G1 MS
Equipe médica em MS na sala do centro cirúrgico do HRMS com gestante de 33 semanas — Foto: HRMS/Divulgação
Equipe médica em MS na sala do centro cirúrgico do HRMS com gestante de 33 semanas — Foto: HRMS/Divulgação

O Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) mobilizou 50 profissionais e duas salas no centro cirúrgico para atender a uma gestante de 34 semanas, que precisou de uma cirurgia complexa. A ação ocorreu recentemente e a equipe médica resumiu o atendimento como "desafiador e surpreendente".

Ao chegar no hospital, no dia 7 de dezembro de 2019, Vanessa Barbosa Furtado se queixava de dor abdominal. Ela então foi medicada, passou por exames e permaneceu internada. Neste período, foi constatado que o filho dela estava com Teratoma Cervical, que, segundo a equipe responsável, é um tumor constituído de células parenquimatosas, representativas de mais de uma camada germinativa.

Com o diagnóstico em mãos, a equipe passou a estudar o caso com informações de artigos científicos, além da experiência dos profissionais, que ainda fizeram simulações teóricas. Participaram: médicos, cirurgiões, enfermeiros, anestesistas, obstetras, pediatras com especialidade na cabeça e pescoço, além de intensivista neonatal, técnicos e até fisioterapeutas.

Houve então a definição do melhor tratamento, que seria a ressecção cirúrgica do tumor, com manutenção do aporte respiratório. Neste procedimento, o bebê foi parcialmente retirado do ventre por meio da cesariana e depois foi entubado. Em seguida, ele foi levado para outra sala do centro cirúrgico e lá houve a retirada do teratoma, enquanto a mãe também passava pela conclusão do parto.

Vanessa já teve alta médica e o filho, de nome José, segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal por conta da prematuridade e também para acompanhamento especializado da evolução do paciente.

“Toda a minha família é muito grata, primeiramente a Deus por estar conosco e por ter guiado todos os profissionais durante o parto do meu filho, e com certeza somos gratos também por toda equipe, por todo acompanhamento e dedicação”, disse, ainda no hospital, a mãe Vanessa.

Tumor era maior que a cabeça da criança, diz médica

A diretora-presidente do HRMS, também especialista em cirurgia em cabeça e pescoço, Rosana Leite, fala que a mãe teve ruptura da bolsa desde a 32ª semana de gestação.

"Era um tumor grande, maior que a cabeça da criança e ela ainda teria dificuldade em respirar, então, foi programado um procedimento chamado exit. A gente aproveitou a circulação do cordão umbilical, deixando o útero bem relaxado e envolvendo toda uma equipe técnica, fizemos a cesárea. Havia realmente pressão na traqueia, entubamos, cortamos o cordão umbilical e, na outra sala, retiramos o tumor. A mãe, graças a Deus, ficou muito bem", ressaltou.

Segundo Leite, a criança atualmente está respirando normalmente e já está na unidade intermediária. "Ela já está respirando super bem, apenas com uma sonda para alimentação e ao lado da mãe. Ela também deve começar a amamentar em breve. Nós tivemos a ajuda de muitos especialistas, de qualidade, a melhor do estado", finalizou.

  • Parto de bebê prematuro e com tumor 'maior que a cabeça dele' mobiliza 50 profissionais em MS: 'Foi desafiador'
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.