RD Online

WhatsApp

55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413

METALÚRGICA PORTELA
Agenda Comércio de Bebidas Vigne e Oliveira
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Marina Móveis Redentora
Móveis Rústicos do Nego Claudio
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
Anúncio Rádio RD Online
UNOPAR VESTIBULAR
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Gugui Confecções
Macali Brasil
ZANY DECORAÇÕES
CENTER MÓVEIS REDENTORA
BAILE BENEFICENTE - HOSPITAL SANTO ANTÔNIO
Gráfica Modelo
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Cervejaria da Praça
UNOPAR INFE
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
CONVITE RODEIO BRAGA
JP Celulares Redentora
Raynet Telecomunicações
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Banner Site
Via Tec telecom
Nacional Gás Redentora

Norte e Serra do RS concentram maiores perdas com a seca, aponta levantamento da Emater

Até esta sexta-feira (10), 28 municípios reivindicaram ajuda por conta da estiagem.Cinco mil agricultores pediram seguro, conforme o Ministério da Agricultura. Culturas mais afetadas são milho e fumo

11/01/2020 12h37
Por: Josoel Silvestre
Fonte: G1 RS
Foto: Divulgação/TV Globo
Foto: Divulgação/TV Globo

A situação de emergência devido à seca já foi decretada em 28 cidades do Rio Grande do Sul, conforme boletim divulgado na tarde desta sexta-feira (10) pela Defesa Civil estadual. Em relação a quinta (9), foram 12 novos decretos. Em todo o estado, a Secretaria da Agricultura diz que esta é a estiagem mais severa desde 2012.

Outros sete municípios, que já tiveram a emergência decretada, fizeram o registro no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, do governo federal. Após essa etapa, eles podem ter o decreto homologado pelo governo estadual e reconhecido pela União.

A estimativa é corroborada pelo Ministério da Agricultura. Segundo o órgão, 5 mil agricultores gaúchos já acionaram o seguro por perdas com a seca.

"No milho, a situação é de sinal vermelho. Na soja, nós estamos em sinal amarelo, de alerta, e com dificuldades em diversas outras culturas, com prejuízos efetivos já", diz o diretor técnico da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Alencar Rugeri.

Em levantamento preliminar, a Emater estima que as perdas na agropecuária em função do calor excessivo e falta de chuvas se distribui da seguinte forma:

30% nas regiões de Pelotas, Porto Alegre e Caxias do Sul;

32% na região de Ijuí;

26% na de Lajeado;

25% nas regiões de Soledade e Santa Maria;

20% na de Bagé.

O milho para silagem também apresenta perdas significativas:

65% na região de Caxias do Sul;

40% na de Soledade;

30% na de Porto Alegre;

27% na de Lajeado.

Outra cultura de verão bastante afetada é a do feijão, com perdas de 30% nas regiões de Porto Alegre e Soledade e de 20% na região de Caxias do Sul. Já a soja apresentou menores perdas em relação aos outros grãos da safra de verão:

20% na região de Soledade;

16% na de Lajeado;

10% nas regiões de Porto Alegre e Frederico Westphalen.

"A estiagem é desuniforme e ainda está em curso, os dados mudam rapidamente. O caráter regionalizado e fases de cada cultura também influenciam na consequência da estiagem e no percentual das perdas”, acrescenta Rugeri.

 

 

 

Cidades com emergência decretada:

Agudo

Amaral Ferrador

Barão do Triunfo

Boqueirão do Leão

Camaquã

Canguçu

Cerro Branco

Cerro Grande do Sul

Chuvisca

Cristal

Dom Feliciano

Encruzilhada do Sul

Gramado Xavier

Mato Leitão

Mariana Pimentel

Pantano Grande

Passo do Sobrado

Ponte Preta

Progresso

Rio Pardo

Santa Cruz do Sul

São Gabriel

Sertão Santana

Sinimbu

Sobradinho

Vale do Sol

Vale Verde

Venâncio Aires

Cidades com registro no Sistema de Desastres do governo federal:

Arroio do Meio

Fontoura Xavier

Maquiné

Montauri

Santo Antônio do Palma

Segredo

Vera Cruz

  • Norte e Serra do RS concentram maiores perdas com a seca, aponta levantamento da Emater
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.