RD Online
JP Celulares Redentora
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
Gugui Confecções
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Macali Brasil
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
METALÚRGICA PORTELA
Móveis Rústicos do Nego Claudio
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
Agenda Comércio de Bebidas Vigne e Oliveira
Via Tec telecom
CENTER MÓVEIS REDENTORA
UNOPAR INFE
CONVITE RODEIO BRAGA
BAILE BENEFICENTE - HOSPITAL SANTO ANTÔNIO
Banner Site
Gráfica Modelo
Marina Móveis Redentora
Raynet Telecomunicações
Cervejaria da Praça
UNOPAR VESTIBULAR
Anúncio Rádio RD Online
Nacional Gás Redentora
ZANY DECORAÇÕES

Governo libera venda de Fuzis do exército para produtores rurais, caçadores e atiradores.

15/01/2020 16h29
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Compre Rural

A IMBEL, indústria de armas subordinada ao Exército Brasileiro abriu a venda de fuzis 5,56 e 7,62 para o público civil gerando entusiasmo nos amantes de armas de todo o Brasil. Uma das mais esperadas e debatidas promessas do Presidente em sua campanha era a posse e porte de arma para o cidadão de bem.

Uma medida vista como protetora e de direito ao brasileiro, com grande apoio da população, a promessa foi cumprida e agora está liberada a venda de fuzis do exército para produtores rurais, caçadores e atiradores.

Antigamente, segundo definição estabelecida pelo Exército em 2000, poderia ser considerada de uso restrito a arma que disparasse projétil com energia de lançamento acima de 407 joules.

A nova lei alterou o limite e esse foi ampliado para 1.620 joules. Ou seja, agora o Fuzil pode ser comprado para caça, treino e proteção da propriedade rural.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sancionou em setembro de 2019, o projeto de lei que permite a moradores rurais ter a posse de arma de fogo em toda a extensão de imóvel localizado no campo. O texto foi sancionado sem vetos. Permitir a posse de arma além da sede do domicílio rural é um pleito antigo da bancada ruralista que enxerga na medida mais maneiras de se defender da violência no campo, como o roubo de rebanhos. Críticos dizem que a medida pode agravar a violência no campo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.